Comemorando o Mês da Alimento, do Ativismo e da História Negra com a Dra. Paule Joseph

Tivemos o prazer de conversar com a Dra. Paule Joseph sobre seu trabalho, sustento, ativismo, saúde pública e o Mês da História Negra. Esperamos que você goste desta entrevista.

Por obséquio, conte-nos um pouco sobre seu trabalho e curso.

Sou a Dra. Paule Joseph, uma enfermeira investigador e educadora dedicada. Minha curso é uma fusão de prática clínica, pesquisa e ensino, com foco na intersecção da ciência sensorial, nutrição e saúde.

Sou enamorado por explorar porquê os nossos sentidos, principalmente o paladar e o olfato, influenciam as escolhas alimentares e porquê isso impacta a saúde universal, principalmente no contexto de doenças metabólicas. Meu trabalho visa aprofundar a compreensão nessas áreas para promover melhores resultados de saúde. Minha curso tem sido uma jornada de combinação de enfermagem, ciência e pesquisa para desenvolver estratégias inovadoras para promoção da saúde e prevenção de doenças. Minha pesquisa frequentemente investiga os aspectos culturais e históricos dos provisões, examinando porquê eles moldam nossas escolhas alimentares e impactam nossa saúde. Outrossim, estou profundamente envolvido na ensino, com o objetivo de colmatar lacunas no conhecimento e promover uma compreensão mais abrangente do papel da nutrição na saúde.

Uma vez que você educa as pessoas sobre a interseção entre comida, história, saúde, ativismo e cultura?

A ensino nesta intersecção é multifacetada. Integro a pesquisa acadêmica com o envolvimento da comunidade, utilizando plataformas porquê seminários, workshops e mídias sociais para disseminar informações. É importante integrar perspectivas históricas para realçar porquê as práticas e tradições culturais moldaram os hábitos alimentares actuais. Ao dar palestras e participar em eventos comunitários, pretendo aumentar a consciencialização sobre o impacto das escolhas alimentares na saúde. O ativismo desempenha um papel crucial, pois defendo o entrada equitativo a opções alimentares saudáveis, principalmente em comunidades desfavorecidas.

Uma vez que enfermeira, investigador e educadora, qual é o caminho a seguir para incentivar as pessoas a incluir mais frutas e vegetais nas suas dietas, e que impacto isso pode ter na saúde?

Uma vez que enfermeira e investigador, acredito que o caminho a seguir envolve uma combinação de ensino, acessibilidade e abordagens personalizadas. É vital educar as comunidades sobre os benefícios nutricionais das frutas e vegetais, utilizando conselhos práticos e relacionáveis. Personalizar os conselhos dietéticos para considerar gostos individuais, origens culturais e estilos de vida pode aumentar muito a adesão. Simultaneamente, devemos trabalhar no sentido de melhorar o entrada a produtos frescos, principalmente em desertos alimentares. As hortas comunitárias, os programas de ensino nutricional nas escolas e as colaborações com agricultores locais podem desempenhar um papel significativo neste contexto. O aumento da ingestão de frutas e vegetais pode levar a melhorias significativas na saúde, incluindo a redução do risco de doenças crónicas, porquê obesidade e hipertensão.

Que mensagem principal você gostaria de compartilhar com nosso público sobre nutrição e saúde pública?

A nutrição é uma pedra angular da saúde pública. Uma sustento balanceada e rica em diversos nutrientes é forçoso para prevenir doenças crônicas e manter a saúde universal. É crucial compreender o papel da dieta na saúde e fazer escolhas alimentares informadas. É forçoso compreender os factores culturais e socioeconómicos que influenciam as escolhas alimentares, trabalhar no sentido de fabricar uma sociedade onde as opções alimentares saudáveis ​​sejam acessíveis e acessíveis para todos, e tutorar políticas que garantam que todos tenham entrada a provisões nutritivos. As estratégias de saúde pública devem incluir ensino nutricional abrangente e políticas que garantam o entrada equitativo a opções alimentares saudáveis ​​para todas as comunidades.

O que o Mês da História Negra significa para você e porquê ele é significativo para o trabalho que você realiza?

O Mês da História Negra tem um significado profundo para mim para reflexão e celebração. É um momento para refletir sobre as contribuições e lutas dos indivíduos negros ao longo da história, inclusive em torno da sustento e da saúde. É uma oportunidade para homenagear a rica legado e contribuições da comunidade negra, inclusive nas áreas da ciência e da saúde. O meu trabalho é influenciado por oriente legado, à medida que me esforço para abordar as disparidades de saúde e honrar as ricas tradições culinárias que moldaram a cultura negra. Nascente mês reforça o meu compromisso de tutorar a paridade na saúde e a compreensão cultural na nutrição. É um lembrete da influência da investigação e da prática culturalmente sensíveis e da urgência de amplificar diversas vozes nas ciências da saúde. É um momento para honrar as conquistas anteriores e renovar o compromisso de promover a paridade na saúde e o bem-estar nutricional na comunidade negra.

Para mais informações sobre meu trabalho e atualizações mais recentes, visite meu website e siga-me nas redes sociais em IG @Dr_paulejoseph, X @Dr_paulevj, Tiktok @drpaulevj, Threads dr_paulejoseph, LinkedIne Facebook.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts